90% dos brasileiros acham que as mudanças climáticas afetarão mais as pessoas – Revista Algomais – a revista de Pernambuco
Gente & Negócios

Gente & Negócios

Rafael Dantas

90% dos brasileiros acham que as mudanças climáticas afetarão mais as pessoas

Relatório da PwC Brasil e do Instituto Locomotiva revela que 89% dos brasileiros acham que empresas devem combater as mudanças climáticas

Um estudo inédito realizado pela PwC Brasil e pelo Instituto Locomotiva indica que nove em cada 10 brasileiros avaliam que o ser humano será cada vez mais afetado pelos eventos extremos das mudanças climáticas. Metade dos brasileiros afirmam já serem afetados por episódios como alagamentos na rua nos últimos cinco anos. Frente a esse cenário de riscos, 89% considera que as empresas deveriam adotar práticas sustentáveis de combate às mudanças climáticas. Para o relatório, os institutos entrevistaram 1,5 mil pessoas, no período de 26 de março a 10 de abril. O estudo é anterior ao desastre ocorrido no Rio Grande do Sul. A tragédia vivida no sul do País deve ampliar essa percepção acerca dos riscos de enchentes.

18% já tiveram a casa invadida por enchentes

38% dos brasileiros afirmam que ficaram “presos” em casa ou em algum estabelecimento por conta de enchentes/alagamentos 

8 em cada 10 afirmam ter notado chuvas mais fortes do que o habitual

63% têm receio de ter a casa invadida pela água

74% temem sofrer alagamentos na rua em que moram ou trabalham

50% dos cidadãos das classes DE já vivenciaram mais alagamentos onde moram

46% das classes AB já enfrentaram alagamentos onde moram

52% dos negros já enfrentaram alagamentos nos últimos anos, ante 46% dos brancos. 

A percepção sobre as mudanças climáticas é uma realidade para a maioria dos brasileiros: 81% atribuem esse fenômeno às ações humanas. Questionados sobre o aumento de alagamentos ou enchentes, 76% observam esse fato na cidade onde vivem e 95% acreditam que as atividades humanas são a causa.

Mauricio Colombari, sócio responsável pela área de sustentabilidade da PwC Brasil, destaca a necessidade de planos climáticos robustos devido aos últimos acontecimentos. “A mitigação das mudanças climáticas falhou em nível global, e, portanto, já passou da hora dos governos se concentrarem na adaptação, com foco nos riscos trazidos por essas mudanças, assim como nos planos de contingência. A essa altura, a magnitude dos investimentos necessários para esse processo de adaptação representa um desafio enorme para os governos em todos os níveis.” 

 

Deixe seu comentário

Assine nossa Newsletter

No ononno ono ononononono ononono onononononononononnon