Agenda TGI discute perspectivas para o mundo, Brasil, Pernambuco e Recife – Revista Algomais – a revista de Pernambuco
Gente & Negócios

Gente & Negócios

Rafael Dantas

Agenda TGI discute perspectivas para o mundo, Brasil, Pernambuco e Recife

Na noite de ontem (22), a Agenda TGI, o principal evento empresarial de final de ano de Pernambuco, lotou o Teatro RioMar para tratar dos desafios de 2023 e das perspectivas para o mundo para o Brasil, para o Estado de Pernambuco e para o Recife.

Francisco Cunha, consultor empresarial e sócio da TGI, tratou de assuntos chaves para entender 2022 e para refletir sobre o próximo ano, como as mudanças climáticas, a tensão entre China e Estados Unidos e os efeitos da Covid-19 na economia global.

No Brasil, sobre a perspectiva da mudança de Governo, após a eleição de Luis Inácio Lula da Silva, Francisco Cunha ressaltou a necessidade de equilíbrio fiscal e social no País, que não suporta nem o desrespeito à saúde das contas públicas, nem a manutenção de uma população de famintos e em situação extrema de vulnerabilidade social.

Acerca de Pernambuco, Francisco Cunha sinalizou os principais desafios do Estado nos próximos anos, mas também o equilíbrio fiscal alcançado. O consultor ressaltou o documento “Pernambuco Além da Crise: Propostas aos Candidatos ao Governo de Pernambuco”, elaborado durante a pandemia, com sugestões para a próxima gestão estadual. Entregue a todos os candidatos durante a eleição.

Sobre o Recife, Cunha ressaltou a importância do cuidado ambiental, com projetos como o Parque Capibaribe, que cria um caminho de revitalização da capital pernambucana, como uma Cidade Parque.

Uma das novidades da edição 2022 da Agenda TGI foram as apresentações culturais da Ária Social, que trouxe ao palco música e dança, inspirados no Movimento Armorial e com um repertório de Capiba.

A cobertura completa do retorno dos eventos presenciais da Agenda TGI você confere na Algomais, em dezembro.

Deixe seu comentário

Assine nossa Newsletter

No ononno ono ononononono ononono onononononononononnon