As Olimpíadas do dia a dia da cultura brasileira (Por Romildo Moreira) – Revista Algomais – a revista de Pernambuco

As Olimpíadas do dia a dia da cultura brasileira (Por Romildo Moreira)

Eis uma excelente oportunidade para a nação brasileira fazer das emoções vivenciadas com os Jogos Olímpicos Rio 2016, uma profunda reflexão sobre o conjunto de ideias que norteiam a realização de um certame com estas dimensões, e a realidade das nossas batalhas diárias para superar as barreiras do cotidiano, que são tantas, como nos jogos, mas sem o brilho das cifras que custeiam esta competição.

Superação, união, treino e determinação, são palavras chaves no vocabulário olímpico. Eis que estas também são chaves na labuta diária da nossa gente (exceto de algumas categorias de esferas superiores de comando), mas que certamente são experiências permanentes no ofício de professores, médicos, policiais, artistas e atletas em início de carreira. – Como falamos acima, é uma reflexão, e como tal, só poderá ser aprofundada com a dissecação, ponto a ponto, das especificidades de cada categoria e, juntas (união), buscar soluções (treino) com foco na dignidade do exercício de cada profissão (determinação), para de fato termos um resultado olímpico de superação, sonhando com uma vida mais justa e feliz para todos os brasileiros.

Provavelmente esta Olimpíada, sob a bênção do Cristo Redentor, vai nos revelar uma série de fragilidades que culturalmente deixamos acontecer, pelo tão decantado “jeitinho brasileiro”, o que na realidade não passa do descompromisso (falta de determinação), levando-nos a crer que Deus não é brasileiro e sim o Senhor do mundo, e assim pensar se já não é chegada a hora de trocarmos o “jeitinho brasileiro” e “gambiarras”, por atitudes vigorosas, em exercício de pura cidadania, com oportunidades concretas para que todos os profissionais, de todas as áreas, cresçam o suficiente para alcançar as medalhas almejadas em suas próprias olimpíadas cravadas nos 365 dias de cada ano? Ou seja, exercer suas funções em condições favoráveis que os elevem ao pódio da satisfação profissional e o sentimento do dever cumprido.

Esperemos então que o legado moral da Rio 2016 seja superior ao legado físico deixado pelo evento, visto que o que necessita ser transformado é o modelo de gerir o patrimônio público, inclusive o que resultará dos jogos, inspirando as administrações públicas dos municípios brasileiros que assumem mandato em janeiro próximo, manter na gestão, com categoria e determinação olímpicas, planejamento profissional que garantam a manutenção permanente das nossas escolas, dos teatros, das bibliotecas, dos hospitais, da limpeza urbana, da despoluição das águas nos nossos rios e canais, etc.

É maratona sim, de prestação de serviços ininterruptos dos gestores para com a população, porque eles recebem antecipadamente a medalha no peito cravada com o voto na urna eleitoral. E o que a população certamente mais deseja ver concretizada na jornada dos cargos eletivos, em especial dos prefeitos, é aquela primeira palavrinha contida no espírito olímpico, materializada em seu legado de poder: Determinação! – Assim praticado, outra palavrinha poderá se unir a esta, que é: Superação! – Para sermos todos olímpicos!

DICAS DE ESPETÁCULOS EM CARTAZ NO RECIFE:

– “Contrações”, com Débora Falabela e Yara de Novaes
Local: Teatro da Caixa Cultural (Bairro do Recife)
Dias: 05 e 06/07 às 20h.
Preços: R$ 20,00 e R$ 10,00 –
Informações: 34251915.

– “Zambo”, espetáculo de dança com o Grupo Experimental
Local: Teatro Luiz Mendonça
Dia: 06/07, às 20h.
Preços: R$ 30,00 – R$ 15,00 – R$ 10,00 e R$ 5,00.
Informações: 33559821.

Deixe seu comentário
anúncio 5 passos para im ... ltura Data Driven na sua empresa

+ Recentes

Assine nossa Newsletter

No ononno ono ononononono ononono onononononononononnon