Estudante de engenharia do Recife é selecionado para intercâmbio da Huawei – Revista Algomais – a revista de Pernambuco
Gente & Negócios

Gente & Negócios

Rafael Dantas

Estudante de engenharia do Recife é selecionado para intercâmbio da Huawei

O aluno de Engenharia Mecânica Industrial João Marco Almeida de Paula foi escolhido para integrar o grupo de estudantes que visitará a China durante 15 dias para conhecer as inovações e soluções do setor de telecomunicações, que hoje é um dos principais temas discutidos entre as empresas de tecnologia. Os jovens também terão a oportunidade de conhecer os pontos turísticos importantes do país e desfrutar do contato com executivos e cientistas de alto escalão para uma conversa sobre o desenvolvimento de novas tecnologias.

A iniciativa, intitulada Seeds for the Future e encabeçada pela chinesa Huawei, foi implementada no Brasil em 2015. Em colaboração com universidades e instituições brasileiras, a empresa seleciona universitários de destaque. Os critérios de seleção são estabelecidos pelas próprias instituições e algumas delas, por exemplo, promoveram competições como o Hackaton para chegar aos indicados.

João escolheu a engenharia pela diversidade de carreiras que o curso pode resultar, não exatamente somente pelo interesse na disciplina em si. Com foco em tornar-se um gestor de projetos, o pernambucano, que trabalha atualmente na Huawei, tem altas expectativas em relação ao intercâmbio: “a expectativa é de voltar tendo uma visão expandida da cultura de vivência e trabalho chinesa, podendo aplicar os conhecimentos lá aprendidos para um enriquecimento pessoal e profissional”, explicou.

O projeto Seeds for the Future reforça o comprometimento da Huawei com o país, por meio do desenvolvimento de estudantes locais. Yao Wei, presidente da Huawei no país, acredita que a capacitação da mão de obra para o setor TIC do Brasil, é um investimento importante. “A ideia do projeto é impulsionar o mercado e desenvolver projetos inteligentes por meio da educação de jovens talentos que estão ingressando no setor. O profissional do futuro precisa ser multidisciplinar, multicultural e ter capacidade de adaptação rápida, características trabalhadas pelo Seeds for the Future. Não é à toa que o nome escolhido para o programa é Semente para o amanhã”, explica.

O programa já capacitou mais de 20 mil estudantes, de 96 países. No Brasil, cerca de 100 alunos já participaram do programa desde que foi lançado em 2015, em cooperação com o Ministério da Educação. “É uma oportunidade que vai abrir as portas do mundo para esses jovens. Além de todo o conhecimento técnico, eles terão a chance de conhecer outra cultura, outra língua, ter contato com universidades chinesas etc. Tenho certeza de que sairão dessa experiência muito mais preparados para lidar com o mercado de tecnologia da informação, tão dinâmico e competitivo”, afirmou o Secretário de Empreendedorismo e Inovação do MCTIC, Sr. Paulo Alvim.

Deixe seu comentário

Assine nossa Newsletter

No ononno ono ononononono ononono onononononononononnon