Daniel propõe “fazer funcionar o que já existe”

Daniel Coelho foi o convidado da semana da Rede Gestão. Em debate, realizado na TGI, o candidato do PSDB à prefeitura do Recife fez um diagnóstico dos problemas que considera centrais na cidade, apresentou suas propostas e respondeu questionamentos dos participantes. O prefeiturável fez duras críticas à gestão de Geraldo Julio, que na sua opinião priorizou a realização de grandes construções de novas infraestruturas públicas e não garantiu o financiamento adequado das estruturas educacionais e de saúde existentes. Em vários momentos do debate ele insistiu na tese de que é necessário primeiramente “fazer funcionar o que já existe”.

O inchaço da máquina pública e os gastos com custeio foram alvos de críticas do tucano. “Recife tem hoje 30 secretarias, 72 executivas. Não conheço outra cidade no Brasil com essa estrutura política. Está tudo entregue a política”, afirma. Ele usou como exemplo a Secretaria de Enfretamento ao Crack, que possui um orçamento de R$ 1,2 milhão, mas dispõe de apenas R$ 9,5 mil para investimentos.

Críticas semelhantes às feitas por Priscila Krause na reunião passada foram repetidas pelo tucano, como o aglomerado de mais de 5 mil cargos comissionados na Prefeitura do Recife e a avaliação de que há um mau gasto na educação, em que cada aluno custa R$ 865 por mês aos cofres públicos. Para educação, Daniel traz a proposta do Programa Pró-creche, em que a mãe irá escolher uma creche para seu filho e a PCR paga até R$ 300 para a unidade de ensino, um sistema semelhante ao Prouni. “É muito mais barato e eficiente que construir creches e administrá-las. Isso dará o reforço para a família num momento muito importante que é a primeira infância”, propõe. Outra proposta para a educação é o investimento em aulas de reforço de português e matemática no contraturno das aulas dos alunos.

Questionado pelo consultor Francisco Cunha sobre a continuidade dos projetos Recife 500 anos e o Parque Capibaribe, o tucano respondeu que caso seja prefeito irá manter ambos, mas fez algumas ressalvas. “Sobre o Recife 500 anos, é muito importante pensar no longo prazo. Fazer o planejamento não quer dizer que está sendo colocado em prática. É uma iniciativa importante e precisa ser seguida”.

Sobre o Parque Capibaribe, Daniel concorda que o projeto traz uma prioridade para áreas de convívio, mas ele defende que é discutir melhor o projeto com a população dos bairros. “Ouço mais elogios que criticas, mas há algumas insatisfações por parte da população”. O tucano reiterou que a gestão pública do Recife perdeu capacidade de diálogo com a população.

Na próxima semana a Rede Gestão receberá o candidato do PV à Prefeitura, Carlos Augusto Costa.

 

Deixe seu comentário
anúncio 5 passos para im ... ltura Data Driven na sua empresa

+ Recentes

Assine nossa Newsletter

No ononno ono ononononono ononono onononononononononnon