Festas Juninas e o Autismo

São João se aproximando, algumas escolas e famílias já estão preparando suas festinhas – seja presencial, respeitando os protocolos, ou virtual. Esse é um momento que requer atenção dos cuidadores de crianças no Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), porque sabemos que crianças autistas podem ser mais sensíveis a estímulos muito comuns nessa época, como: o barulho dos fogos de artifício, a música alta, as roupas, o colorido, entre outros.

O importante mesmo é lembrar que o que vale, é a criança se sentir confortável para vivenciar as festas.
A fonoaudióloga comportamental Maria Bethânia Mendes deixa algumas dicas para ajudar nesse processo:

. Ainda dá tempo de fazer em casa, uma simulação da Festa Junina, para que a criança vá se familiarizando. Ela pode experimentar a roupa de São João, treinar a maquiagem, provar os acessórios e ouvir as músicas características da época; previsibilidade é essencial!
. Vídeos reproduzindo festas juninas, também podem ajudar as crianças com autismo a se acostumarem com a celebração. Videomodelagem é uma ferramenta preciosa!
. Se a criança frequenta a escola e lá terá um momento de festa junina com a turminha e mesmo com toda a preparação, ela ainda estiver insegura, talvez possa estar acompanhada de algum cuidador para mediar o processo e ajudá-la a sentir-se mais segura e tranquila; a mediação é um dos instrumentos mais indispensáveis na atuação junto a pessoas no TEA.
. Considere usar abafadores de ruído como fones de ouvido, por exemplo, se houver fogos de artifício em alguma comemoração, no bairro onde mora, etc, e sua criança for muito sensível a esses barulhos; diminuir a carga e a intensidade dos estímulos aversivos pode ser necessário.
. E, apesar de tudo isso, está tudo bem se a criança preferir não participar. Esse processo já foi uma aproximação! O mais importante é ela se sentir bem!

Deixe seu comentário
anúncio 5 passos para im ... ltura Data Driven na sua empresa

+ Recentes

Assine nossa Newsletter

No ononno ono ononononono ononono onononononononononnon