Prefeitura do Recife inicia urbanização das margens do Rio Tejipió

Parque Alagável com quase 4 mil m2 de área será implantado nos bairros de Areias e Tejipió. Prefeito João Campos acompanhou no último sábado (11) os trabalhos no local (Fotos: Edson Holanda/PCR)

(Da Prefeitura do Recife)

A Prefeitura do Recife está urbanizando as margens do Rio Tejipió, no trecho próximo à Avenida Recife, entre os bairros de Areias e do Ipsep. A área ganhará um Parque Alagável, com área total de 3,9 mil m², que inclui o alargamento da calha do rio e a implantação de equipamentos públicos, como minicampo, playground, áreas para jogos, cooper e piquenique. A demolição dos imóveis situados na beira do rio, necessária para o projeto de urbanização, começou nesta semana. O prefeito do Recife João Campos esteve na localidade, perto da Rua Terezina, no Ipsep, no último sábado (11), para verificar o andamento dos trabalhos.

“Estamos aqui no Ipsep, aqui está o Rio Tejipió que hoje é o maior desafio de drenagem da cidade. Estamos fazendo uma intervenção aqui, fizemos a desapropriação de aproximadamente 95 imóveis, e estamos fazendo a retirada e vamos fazer o alargamento desse trecho que é o mais crítico. Aqui o rio está com 8 metros de largura e com essa intervenção vamos fazê-lo chegar a 30 metros, um processo de renaturalização do leito dessa área mais crítica”, esclareceu João Campos. “Essa intervenção aqui está custando aproximadamente R$ 10 milhões para o município, mas a gente acredita muito no potencial dela tendo em vista que o Tejipió é o maior desafio de drenagem da cidade. Aqui pega o bairro do Ipsep, Coqueiral, Areias, Sancho, Tejipió, a Avenida Recife e avenidas importantes da cidade que a gente precisa priorizar e precisa fazer”, acrescentou ele.

O processo de desapropriação das casas começou no ano passado e a licitação para contratação da empresa responsável pelas demolições aconteceu durante o primeiro semestre. O conceito de Parque Alagável contempla a criação de um espaço extra para as águas, contando ainda com vegetação pensada para absorver a água e fomentar a biodiversidade local. No caso do Rio Tejipió, a intervenção tem também o objetivo de atenuar o histórico problema de drenagem na região, com o alargamento da calha.

No lado do Ipsep, a intervenção contempla uma área de 2,6 mil m², com minicampo em areia, playground com brinquedos em concreto, áreas para jogos de mesa, piquenique e contemplação, passeio e área de circulação em intertravado, além de acessos para facilitar a limpeza do Rio Tejipió. Já em Areias, serão feitas pista de cooper em piso intertravado, com 368m; área de jogos; e a requalificação do passeio em intertravado, numa área total de 1.227 m². O projeto inclui acessibilidade.

A intervenção prevê a demolição de 107 imóveis construídos nas margens do Rio Tejipió. No primeiro momento, a operação envolve 52 casas no bairro do Ipsep, que deve durar cerca de 60 dias e, em seguida, serão desapropriadas e demolidas mais 55 residências situadas em Areias. Ao todo, serão investidos cerca de R$ 10 milhões na desapropriação e demolição das 107 residências.

OBRAS – No bairro do Ipsep, já está em execução uma grande obra de requalificação urbana e melhorias da mobilidade. As intervenções incluem a implantação de binário, corredor exclusivo de ônibus, ciclofaixa, requalificação dos passeios, arborização, melhorias nas redes de drenagem e abastecimento de água, bem como o embutimento da rede de telecomunicações. O valor investido será de R$ 36,3 milhões, melhorando também o acesso entre as avenidas Recife e Mascarenhas de Morais.

O Ipsep também recebeu recentemente obras de pavimentação e drenagem na Rua Jacundá, com aporte de recursos da ordem de R$ 1 milhão. No último ano, a Prefeitura do Recife investiu mais de R$ 3,5 milhões em ações de limpeza concentradas em trechos do Rio Tejipió para otimizar o funcionamento da rede de drenagem de bairros como Totó, Barro, Areias, Caçote, Ibura e Imbiribeira. A Autarquia de Manutenção Urbana e Limpeza do Recife (Emlurb) também promove a limpeza frequente dos canais que cruzam a região, como os canais do Rio Jiquiá, Jardim Uchôa, da Marinha e da Malária.

Deixe seu comentário

Assine nossa Newsletter

No ononno ono ononononono ononono onononononononononnon