Saiba por quê o infarto é uma das principais causas de morte entre as mulheres no mundo

Hoje é o Dia Nacional de Conscientização das Doenças Cardiovasculares na Mulher

14 de maio é o Dia Nacional de Conscientização das Doenças Cardiovasculares na Mulher para conscientizar sobre as patologias do coração que atingem as mulheres e podem ser fatais. A Federação Mundial do Coração alerta que as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte entre as mulheres no mundo, sendo responsáveis por 8,5 milhões de óbitos, o que corresponde a mais de 23 mil mortes por dia. Assim, representam um terço dos óbitos femininos globais, superando os números de câncer de mama e de útero, conforme aponta a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). No Brasil existiu um aumento de cerca de 62% de mortes de mulheres de 15 a 49 anos por infarto de 1990 para 2019. Na faixa etária de 50 a 69 anos, o número quase triplicou, com alta de aproximadamente 176%.

O cirurgião cardiovascular e endovascular Edmilson Cardoso explica: “Após a menopausa há uma redução de estrógeno, hormônio que também é responsável pela proteção dos vasos no organismo. Além disso, o infarto do miocárdio pode estar associado ao estresse mental, emocional e psicossomático causado diversas vezes pela dupla e até tripla jornada que muitas mulheres enfrentam com trabalho externo, cuidados domésticos e com os filhos, elevando o estresse e tendendo à falta de atividade física, má alimentação, tabagismo e consumo excessivo de bebidas alcoólicas”, explica o cardiologista Edmilson Cardoso, cirurgião cardiovascular e endovascular.

Quais os principais sinais de infarto em mulheres?

Ardência na pele
Dor no pescoço, nos ombros, no rosto e na mandíbula,
Falta de ar
Fadiga incomum
Palpitações

“Os sinais são diversos e distantes do que costuma ser o sinal convencional nos homens – a dor no peito, náuseas, vômitos, dor nas costas e no pescoço, falta de ar e indigestão. Isso torna a procura por uma especialista mais demorada e, muitas vezes, o diagnóstico é tardio e o tratamento é feito de modo inadequado”, aponta Edmilson Cardoso, que também é chefe do serviço de Cirurgia Cardíaca do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Por que as mulheres são mais propensas a terem infarto?

“As artérias coronárias no coração da mulher são mais finas e, por isso, há uma maior tendência a sofrer com bloqueios nas artérias principais e menores, que levam sangue ao coração. Dessa forma há também um maior risco de infarto. Nas mulheres mais jovens, há ainda uma associação a ovário policístico, menopausa precoce, disfunções de hipertensão na gravidez, diabetes gestacional e parto prematuro”, aponta o cirurgião cardiovascular Edmilson Cardoso.

Como prevenir as doenças cardiovasculares?

Alimentação saudável;
Prática regular de atividade física;
Evitar o tabagismo;
Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;
Controlar o peso;
Controlar doenças crônicas que são fatores de risco para as doenças do coração, como a hipertensão, o diabetes e a dislipidemia.

“Não há como prever o infarto, mas existem ações que podem ajudar a prevenir com hábitos simples no cotidiano. Dessa forma, é importante manter uma alimentação saudável, praticar atividade física com regularidade, controlar a taxa de gordura, sódio e açúcar no sangue, evitar álcool e o tabagismo e manter o peso adequado, além de realizar consultas regulares com o cardiologista para prevenir outras doenças do coração”, destaca o especialista Edmilson Cardoso, chefe do serviço de Cirurgia Cardíaca do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e cirurgião cardiovascular da equipe do Instituto do Coração de Pernambuco (Incor-PE) do Real Hospital Português .

Deixe seu comentário
anúncio 5 passos para im ... ltura Data Driven na sua empresa

+ Recentes

Assine nossa Newsletter

No ononno ono ononononono ononono onononononononononnon